quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Estado do Mato Grosso do Sul

Posted by Julio Neto On quinta-feira, janeiro 26, 2012 No comments

Para visualizar toda a postagem basta clicar em seu título. 

Histórico
Bandeira do Estado
A descoberta do continente americano por Cristóvão Colombo em 1492 fez surgir entre Portugal e Espanha a disputa pelas terras, o que culminou no Tratado de Tordesilhas em 1494, o qual visava dividir o território entre as duas nações. Com a vinda de Pedro Álvares Cabral, teve início a colonização portuguesa ao continente que posteriormente viria ser conhecido como Brasil.
Há notícias de que o primeiro português a pisar no que hoje é Mato Grosso do Sul, teria sido Aleixo Garcia, por volta de 1524. Ele partira de Santa Catarina, atravessou a Serra de Maracaju, desceu o rio Miranda e, pelo rio Paraguai, chegou à Assunção. Aleixo buscava as riquezas das minas do Peru, difundidas em estórias da época.

Pelo Pantanal (conhecido como mar do Xaraés) e por outras terras de Mato Grosso do Sul em geral passaram numerosas bandeiras em direção ao Norte, ao Peru e ao Paraguai. As regiões do Ivinhema, do Iguatemi e a serra de Maracaju eram bem conhecidas dos bandeirantes e muito utilizadas em suas rotas fluviais.
Com o objetivo de aprisionar índios, Pascoal Moreira Cabral chegou ao território dos Coxiponés (atual Cuiabá) em 1718, onde descobriu ouro abundante junto ao rio Coxipó-Mirim. Em 8 de abril de 1719 nascia o arraial de Forquilha, que transformaria mais tarde na cidade de Cuiabá, iniciando-se na região a corrida pelo ouro.
Neste mesmo ano, os irmãos Leme bem armados, com escravos e recursos, seguiram um caminho diferente para Forquilha atravessando um lugar conhecido como Camapuã. Os quatro homens fizeram uma parada e, em 1719, fundava-se o primeiro núcleo de Mato Grosso do Sul, com a fixação dos primeiros homens brancos: a fazenda Camapuã.
Outros povoados começam a nascer no correr dos anos e também fortificações militares tais como o Forte Coimbra em 1775; o Arraial de Nossa Senhora da Conceição de Albuquerque (atual Ladário) em 1778; o presídio de Miranda, em 1797, às margens do rio Mondego (que passaria a chamar-se, daí em diante, de Miranda). A função era tanto de apoio aos viajantes que seguiam atrás do ouro fácil do Cuiabá quanto de demarcar e vigiar as fronteiras portuguesas contra os possíveis ataques espanhóis.
Tudo ia relativamente bem no Centro-Oeste brasileiro, mas não por muito tempo. Com a morte de seu pai, em 16 de setembro de 1862, o general Francisco Solano Lopez herda o governo Paraguaio e dá larga ao sonho de conquistar territórios litigiosos argentinos e brasileiros. É assim que no final de 1864 e, mais ferrenhamente, no início de1865 a capitania de Mato Grosso é invadida pelos soldados de Solano Lopez. A Guerra do Paraguai (1864-1869) destruiu cidades como as de Nioaque, Miranda e Corumbá, que apenas em 1870 puderam começar a ser reconstruídas.
A primeira tentativa de se criar um novo Estado ocorreu em 1892 por iniciativa de alguns revolucionários liderados pelo coronel João da Silva Barbosa. Em 1932, com a Revolução Constitucionalista, foi criado o Estado de Maracaju, abrangendo quase todo o sul de Mato Grosso, que teve Vespasiano Martins como seu primeiro governador. No mesmo ano, foi criada a Liga Sul-Mato-Grossense, propugnando pela autonomia do sul.
Em 1974, o governo federal, pela Lei Complementar nº 20, estabelece a legislação básica para a criação de novos Estados e territórios, reacendendo a campanha pela autonomia. No dia 11 de outubro de 1977, o presidente Geisel assinava a Lei Complementar nº 31 criando o Estado de Mato Grosso do Sul, com capital em Campo Grande. Em 31 de março de 1978, o engenheiro Harry Amorim Costa era nomeado Governador do Estado.
Duas razões essenciais foram invocadas pelo governo federal para justificar o desmembramento: o fato de ter o Estado do Mato Grosso uma área grande para comportar uma administração eficaz; e a diferenciação ecológica entre as duas áreas, sendo Mato Grosso do Sul uma região de campos, particularmente indicada para a agricultura e a pecuária, e Mato Grosso, na entrada da Amazônia, uma região bastante menos habitada e explorada, e em grande parte coberta de florestas.


DADOS GERAIS:

Capital: Campo Grande 
Região: 
Centro-Oeste
Sigla: MS 
Gentílico: 
sul-mato-grossense 
População: 
2.477.504 (estimativa de 2011)
Área (em km²): 
357.124
Densidade Demográfica (habitantes por km²):
 6,9
Quantidade de municípios: 
78

DADOS ECONÔMICOS E SOCIAIS
Produto Interno Bruto (PIB)*: R$ 36,4 bilhões (2009)
Renda Per Capita*:
R$ 15.407 (2009)
Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 
0,802 (2005)
Principais Atividades Econômicas: 
agricultura, pecuária e mineração.
Mortalidade Infantil (antes de completar 1 ano): 
16,9 por mil (em 2009)
Analfabetismo: 
7,7% (2010)
Expectativa de vida (anos): 
73,5 (2003)
PONTOS TURÍSTICOS E CULTURAIS
- Monumento a Imigração Japonesa
- Pantanal
- Cachoeiras e outras belezas naturais na cidade de Bonito
- Parques ecológicos
- Feiras de artesanato
- Festas Típicas da região
- Monumento do Avião
- MARCO - Museu de Arte Contemporânea
- Museu Dom Bosco - Museu do Índio

GEOGRAFIA
Etnias: brancos (48,9%), negros (4,2%), pardos (45,2%) , amarelos ou indígenas (1,7%)
Rios importantes: 
Paraná, Sucuriú, Verde, Pardo, Aquidauana, Paraguai, Miranda, Ivinhema.
Principais cidades: Campo Grande, Corumbá, Dourados, Três Lagoas, Ponta Porã, Aquidauana e Naviraí.
Clima: tropical e subtropical.

Fonte. IBGE In: SuaPesquisa.Com

0 comentários :