quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

O Estado da Bahia

Posted by Julio Neto On quarta-feira, janeiro 25, 2012 No comments

Para visualizar toda a postagem basta clicar em seu título.


O Estado da Bahia é um dos mais belos e ricos estados brasileiros. Está entre as dez maiores economias do país e tem registrado índice elevado de crescimento nos últimos anos, superando inclusive, a média nacional. No entanto, esse desenvolvimento ainda não foi suficiente para deixar pra trás as grandes desigualdades socioeconômicas que caracterizam o estado desde o início do período republicano.
Por Julio Neto Alves

Um Pouco de História
A história da Bahia se confunde com a própria história do país. Em Porto Seguro, no Extremo Sul da Bahia, no ano de 1500, o Brasil foi descoberto com a chegada dos portugueses e a celebração da primeira missa, em Coroa Vermelha, por frei Henrique Soares de Coimbra. Nesses cinco séculos de muitas histórias, a Bahia foi palco de invasões, como a Holandesa, das guerras pela Independência, e de conflitos e revoltas, como a Sabinada e a dos Malês.
No século XVI, a Bahia foi movida pela economia do pau-brasil e da cana-de-açúcar, seguida pelo ciclo do ouro e do diamante. A fase áurea da cana-de-açúcar, inclusive, proporcionou o surgimento da nobreza colonial, provocando um aumento populacional e também financeiro, principalmente na capital, o que pode ser comprovado pelas construções das principais igrejas da cidade, como a de São Francisco, a igreja de ouro, a venerável Ordem Terceira de São Francisco, com fachada em barroco espanhol, e a Catedral Basílica, onde está o túmulo de Mem de Sá, o terceiro governador-geral do Brasil, e a cela onde morreu o padre Antônio Vieira.

Independência
Os movimentos de insatisfação com a condição de colônia e reino que o Brasil mantinha ao longo de sua história começaram a ser deflagrados em 1817. Mesmo com a brutal repressão ao movimento de Conjuração dos Alfaiates e com a chamada Revolução de 1817, uma nova onda revolucionária surgia em Portugal, e, em 1821, a revolução constitucionalista chegava ao Brasil. Dela resultou a decisão de incluir deputados brasileiros para representar a colônia nas discussões da futura Carta Constitucional. Foram eleitos no dia 03 de setembro de 1821 quatro baianos: José Lino Coutinho, Cipriano Barata, Domingos Borges de Barros e o padre Francisco Agostinho Gomes.
Ainda assim, as insatisfações com a condição de colônia não sanaram e levaram o príncipe regente D. Pedro a negar obediência à Corte de Lisboa em janeiro de 1822, tornando-se assim ponto de apoio e união para o movimento pela independência. Porém, para controlar e dominar toda a região, o príncipe regente substituiu oficiais brasileiros por portugueses no comando das Armas. Para a Bahia foi designado o brigadeiro Inácio Madeira de Melo. Apontando incorreções no decreto de nomeação do brigadeiro, a Câmara recusou-o, negando-se dar posse ao novo comandante. A partir daí, houve choque entre portugueses e brasileiros. Os soldados lusos tomaram a cidade e praticaram muitos absurdos, como a invasão do Convento da Lapa, ocasião em que assassinaram a madre Joana Angélica, que defendeu a porta da clausura.
Os baianos não aceitaram a perda da cidade, e começou então um período de intensa guerrilha urbana, culminando com um grande cerco a Salvador, no dia 02 de julho, data em que se comemora a Independência da Bahia.
Fonte: Bahia.Com


DADOS GERAIS:
Capital: Salvador
Região:
Nordeste
Sigla: BA 
Gentílico: 
baiano 
População: 
14.021.432 (Censo 2010)
Área (em km²): 
564 692,669
Densidade Demográfica (habitantes por km²): 
24,83
Quantidade de municípios: 
417

DADOS ECONÔMICOS E SOCIAIS
Produto Interno Bruto (PIB)*: R$ 137,1 bilhões  (2009)
Renda Per Capita*:
R$ 9.365 (2009)
Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 
0,742 (2005)
Principais Atividades Econômicas: 
agricultura, pecuária, comércio, indústria e mineração.
Mortalidade Infantil (antes de completar 1 ano): 
31,4 por mil (2009)
Analfabetismo: 
16,6% (2010)
Expectativa de vida (anos): 
71,2 (2003)

PONTOS TURÍSTICOS E OPÇÕES CULTURAIS
- Cachoeira da Fumaça (Chapada Diamantina)
- Cachoeira da Mariazinha (Utinga – Chapada Diamantia)
- Pratinha (Chapada Diamantina)
- Festival de Inverno (Lençóis – Chap. Diamantina)
- Feira da Arte e Cultura (Utinga – Chapada Diamantina)
- Museu Afro-brasileiro
- Fundação Casa de Jorge Amado
- Museu Geográfico da Bahia
- Elevador Lacerda (Salvador)
- Farol da Barra
- Praias de Porto Seguro
- Pelourinho
- Mercado Modelo
- Igreja do Nosso Senhor do Bonfim
- Museu de Arte Moderna da Bahia
- Parque das Dunas
- Entre outras.

GEOGRAFIA
Etnias: brancos (20,9%), negros (14,4%), pardos (64,4%) indígenas e amarelos (0,3%)
Rios importantes: São Francisco, Paraguaçu, Jequitinhonha, Grande e Capivari.
Principais cidades: Salvador, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Ilhéus, Itabuna, Juazeiro, Porto Seguro, Camaçari e Jequié
Clima: tropical (região litorânea) e semi-árido (interior)
Fonte: IBGE

0 comentários :