terça-feira, 30 de junho de 2015

Dia 30 de Junho - Segundo Bissexto: Dia será um segundo mais longo

Posted by Julio Neto On terça-feira, junho 30, 2015

Adição de 1s vai sincronizar velocidade de rotação da Terra e hora oficial. O não ajuste provocaria colapso em sistemas de comunicação e bancário.

Hoje o dia vai ser um segundo mais longo do que o normal. O chamado segundo bissexto foi criado pelo Serviço Internacional de Sistemas de Referência e Rotação da Terra, o IERS, para ajustar a rotação do Planeta.

Essa pequena mudança não vai interferir em praticamente nada no nosso dia, mas pode ser um grande problema para os computadores.

Essa adição de um segundo acontece a cada 18 meses. E da última vez em que aconteceu, em 2012, o segundo bissextoderrubou sites e serviços como o LinkedIn, Reddit e Foursquare.

Isso porque os computadores podem ficar confusos com um segundo repetido, e não saber o que fazer. Google e Amazon se previnem de possíveis problemas adicionando gradativamente milissegundos para que a mudança não seja tão brusca.

Mas qual a importância de tudo isso?

De acordo com Ricardo José de Carvalho, chefe da divisão do Serviço da Hora do Observatório Nacional, a consequência de não ajustar o segundo nos relógios do mundo pode ser desastrosa.

“A internet, por exemplo, pode ser afetada, já que os servidores estão conectados e sincronizados pelo planeta. Atividades que dependem da rotação da Terra também, como a navegação marítima, que usa como parâmetro o tempo para saber a posição”

Variações na rotação da Terra
O mecanismo que altera o segundo é chamado de Leap Second (ou Segundo intercalado, na tradução do inglês) e é determinado pelo Serviço Internacional de Sistemas de Referência e Rotação da Terra, organização que mantém padrões de referência e tempo globais.

De tempos em tempos, essa adição deve ocorrer devido a variações da duração do dia que se acumulam, provocadas por alterações na velocidade da rotação da Terra.

O Observatório Nacional explica que essa variabilidade ocorre "em virtude dos efeitos gravitacionais do Sol, da Lua e dos planetas, e também resultado dos deslocamentos de massas terrestres em diferentes partes do planeta" – incluindo terremotos.

Fonte: Globo / Jornal do SBT

Uniso Comunidade-Centro de Pesquisa- Marcos Reigota

Posted by Julio Neto On terça-feira, junho 30, 2015